◄ Voltar
Residências O'culto da Ajuda

Residência de Criação . Philippe Trovão saxofone

de 24 de Out. de 2019
a
25 de Out. de 2019

O'culto da Ajuda

24 a 25 de Outubro de 2019 | O'culto da Ajuda | Lisboa |

Residência de Criação Philippe Trovão  saxofone

 

RECAST, por Philippe Trovão

nome atribuído ao projecto, tem como principal objectivo a preservação de obras compostas originalmente para saxofone e dispositivo electroacústico, que poderá ser qualquer aparelho analógico que transforme de alguma forma o som do instrumento. A música electroacústica é a resultante da combinação de sons criados de forma mecânica e sons criados de forma electrónica. No panorama da música erudita é ainda bastante recente e apresenta desde o momento em que começou a ser explorada uma problemática que tem que ver com a constante evolução tecnológica e consequente incompatibilidade com meios de processamento e reprodução de áudio que muito rapidamente ficam obsoletos. A acrescentar a esta questão, as partituras, na grande maioria dos casos, não têm informações suficientes para a performance. Perante isto começou a surgir, usando a tecnologia actual, a procura por criar soluções para que estas obras voltem a ser interpretadas. A solução passa por criar em computador simulações dos aparelhos com todas as suas funcionalidades e por criar controlos que permitam ao intérprete modificar os parâmetros do programa. Todo este processo de preservação e transferência de tecnologia tem o nome de Recasting. Este trabalho surge como extensão de várias investigações realizadas sobre esta matéria mas tem como base o trabalho do compositor, pedagogo e investigador António de Sousa Dias, “Case studies in live electronic music perservation: Recasting Jorge Peixinho’s Harmónicos (1967-1986) and Sax-Blue (1984-1992)”. Neste artigo são apresentadas duas obras do compositor Jorge Peixinho (uma delas escrita para saxofone) como caso de estudo e dissertações sobre as implementações feitas em Max/Msp (software de programação visual) para que essas obras, que originalmente foram escritas para câmara de eco e delay de fita, pudessem continuar a ser interpretadas. Para as obras que vão ser interpretadas no concerto foi feito o recast de vários dispositivos diferentes. Em Olos, de Michel Decoust, o compositor usou um dispositivo de transformação que envolve filtragem, delay e transposição, e para Metaksaks, obra do compositor Anatol Vieru, foi usado somente um filtro de voltagem. Para as três últimas obras do concerto será usada a simulação da câmara de eco Korg SE500 feita pelo compositor António de Sousa Dias. Mnemosyne et l’oubli é uma das obras mais marcantes do compositor Marc Tallet e a obra Variants-Invariants, de Costin Miereanu, serviu de inspiração para que Jorge Peixinho escrevesse Sax-Blue, que será a obra com que irá terminar o concerto. A vontade de começar um projecto como este e de fazer um concerto com este tipo de repertório surgiu pelo gosto muito grande que sempre tive por repertório do séc. XX e XXI.

Endereço Travessa das Zebras 25