Temporada Miso Music Portugal - arquivo

A Temporada Miso Music Portugal teve início em 2007 e tem consistido em ciclos de espectáculos ao longo do ano em estreita ligação com as várias actividades desenvolvidas pela Miso Music Portugal.

Os programas propostos no âmbito da Temporada têm um carácter diversificado, variando entre eventos dedicados à música electroacústica, mista ou estritamente instrumental, teatro musical e nova ópera, espectáculos para crianças, eventos de pedagogia pela arte, cursos e workshops, concertos organizados por ocasião de lançamentos de novas edições nomeadamente discográficas, concertos monográficos em torno de um compositor, acolhimento de projectos inovadores musicais ou pluridisciplinares, apresentações de novíssimos intérpretes lado a lado com solistas consagrados,... e como sempre, seguindo as linhas condutoras de toda a actividade da Miso Music Portugal, destacando a música portuguesa e pondo em perspectiva o repertório do século XX com a criação musical no presente.
Ao longo destes 8 anos de Temporada tivemos o privilégio do acolhimento generoso de algumas entidades culturais, muito especialmente do Instituto Franco-Português entre 2007 e 2010 e posteriormente do Goethe-Institut de Lisboa a partir de 2011. Com estes parceiros pudemos cumprir parte da missão a que nos destinamos no sentido de fomentar, produzir, divulgar e promover a criação musical do nosso tempo e o seu cruzamento com as outras artes.

Todavia, a falta de um espaço próprio, implicou sempre condicionantes de ordem diversa que limitaram o desenvolvimento porque aspiramos. Assim chegou finalmente a altura de dispormos de um espaço para acolhimento das criações próprias da Miso Music Portugal e das companhias de música associadas, mas também de acolhimento de outros projectos de criação, possibilitando um nível de experimentação e serenidade até aqui impensável, oferecendo residências de criação e produção em condições excepcionais, nomeadamente técnicas, aproveitando a dotação técnica extraordinária da Miso Music Portugal, conseguida ao longo de várias décadas de investimento.

Este novo espaço O'culto da Ajuda, na Ajuda, em Lisboa, passa também a acolher a Temporada da Miso Music Portugal a partir do final de Outubro de 2014, data da sua inauguração.

Consulte aqui o arquivo das Temporadas até 2013

◄ Voltar
Temporada

Recitais em Directo Antena 2 - Duo Tágide

de 22 10 2019
a
22 10 2019

O'culto da Ajuda

22 de Outubro de 2019 |   O'culto da Ajuda | Lisboa | 21H

Recitais em Directo Antena 2 - Duo Tágide
 
 

PROGRAMA

1ª PARTE

 

António Chagas Rosa

Cicuta (Maria Teresa Horta)

I     Cicuta

II    Docemente

III   Modos de amar I, II e III

IV   Educação sentimental

V    O mar nos teus olhos I e II

VI   Penumbra/Nem só

VII  A boca - os lábios

VIII A nuca

IX   Os seios

X    O umbigo

XI   O clítoris

 

Fátima Fonte

coração acordeão (Alexandre O’Neill)

Estreia absoluta / Encomenda Miso Music Portugal

 

2ª PARTE

George Crumb

Apparition - Elegiac songs and vocalises for soprano and amplified piano (Walt Whitman)

 

The Night in Silence Under Many a Star

Vocalise No. 1

Summer Sounds

When Lilacs Last in the Dooryard Bloom'd

Dark Mother Always Gliding with Soft Feet

Vocalise No. 2

Invocation to the Dark Angel

Approach Strong Deliveress!

Vocalise No. 3

Death Carol ("Song of the Nightbird")

Come Lovely and Soothing Death

The Night in Silence Under Many a Star


 

Em Cicuta redescobrimos a poesia de Maria Teresa Horta (1937) - figura incontornável do movimento feminista português - numa sexualidade crua e visceral, obviamente centrada no prazer da mulher. A música de António Chagas Rosa, lírica e impetuosa, serve de uma forma orgânica a beleza das palavras. 

coração acordeão é um pequeno ciclo de canções sobre textos curtos de Alexandre O’Neill. Compositora do Porto, Fátima estudou canto Hindustani na Índia e fez um mestrado em Composição no Conservatório de Amesterdão. Foi compositora associada ao Teatro Nacional de São Carlos e está a iniciar um doutoramento na Guildhall School of Music and Drama.

Incontornável obra-prima do século XX, Apparition (1979), do compositor americano George Crumb, dá-nos por fim uma visão cíclica da Natureza. Assombrosa e reconfortante, ela detém o poder sobre a Vida e a Morte.

 

Biografias

Inês Simões | Soprano

Jovem soprano cuja versatilidade lhe permite cantar um vasto repertório, desde o Barroco à música contemporânea.
Trabalhou com os maestros Magnus Lindberg, Hannu Lintu, Paul McCreesh, Sian Edwards, Marcelo de Jesus, Nuno Côrte-Real, Rui Pinheiro e João Paulo Santos, os encenadores Kristiina Helin, Olivia Fuchs, Max Hoehn, Ricardo Neves-Neves, Claudio Hochmann, Fernanda Lapa, Figueira Cid e Alexandre Lyra Leite. Colaborou com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Gulbenkian, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Ensemble Darcos e Ensemble Contemporaneus. Apresentou-se na Fundação Calouste Gulbenkian, Barbican Hall, Barbican Pit, Sadler’s Wells, London Coliseum, British Museum, Millennium Centre, Teatro Trindade, bem como nos festivais Dias da Música no CCB, Terras Sem Sombras, Música na Fábrica, Oxford Lieder Festival, Song in the City Concert, Grimeborne Festival e Tête-à-Tête e ainda na  BBC Radio 3 In Tune e Antena 2.

Em ópera, sublinham-se a estreias mundiais de A Canção do Bandido de Nuno Côrte-Real, Play de Jamie Man, Tabacaria de Luís Soldado e The Fisherman’s Brides de Lucie Treacher, e as estreias nacionais de Onheama de João Guilherme Ripper, King Harald’s Saga de Judith Weir, The Waiter’s Revenge de Stephen Oliver e Hummus de Zad Moultaka. Do repertório standard contam-se os papéis de Contessa (Le Nozze di Figaro - Mozart), Susanna (Il Segreto di Susanna - Wolf-Ferrari), Gretel (Hansel und Gretel - Humperdinck), Giulia (La Scala di Seta - Rossini), Rita (Rita - Donizetti), Clarice (Il Mondo della Luna - Haydn), Bubikopf (Der Kaiser von Atlantis - Ullmann), Aminta (Il Re Pastore - Mozart) e Bastienne (Bastien und Bastienne - Mozart).

Em oratória estreou-se no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian ao lado de Iestyn Davies em Solomon de Haendel, interpretando na temporada seguinte o Messias. Participou ainda em obras de Marcos de Portugal, Mozart, Rossini, Schubert, Rutter e Orff.

Grande entusiasta de música contemporânea, Inês Simões estreou mais de 10 obras encomendadas para a sua voz, destacando-se os compositores Jamie Man, Jug Markovitch, Nuno da Rocha, Igor C. Silva, Daniel Moreira, Pedro Faria Gomes, Federic Neyrinck e Miguel Azguime.

Tem desenvolvido uma longa colaboração com o pianista Daniel Godinho. O Duo Tágide apresenta-se regularmente por todo o país tendo, em 2015, lançado o CD Alma Ibérica  pela Editora Discográfica Sonus Music, que visa a divulgação do repertório ibérico de canção lírica.

 

Daniel Godinho | Piano

 Daniel Godinho estudou na Escola Superior de Música de Lisboa e na Academia Nacional Superior de Orquestra, onde foi aluno de Alexei Eremine.
Entre 2007 e 2008 frequentou as International Lied Masterclasses no Conservatório de Amesterdão e em 2010 a Deutsche Lied Akademie em Trossingen. Tem tido oportunidade de se aperfeiçoar com importantes músicos como Rudolf Jansen, Axel Bauni, Eugene Asti, Udo Reinemann, Jan Philip Schulze, David Selig, Sarah Walker, entre outros.
A sua paixão pela música vocal e coral tem-no levado a colaborar com vários coros, nomeadamente o Coro Gulbenkian, e a desenvolver um trabalho contínuo com o soprano Inês Simões, explorando um repertório de canção muito abrangente. 

Foi pianista acompanhador no Instituto Piaget e na Escola Superior de Música de Lisboa e é actualmente professor na Escola de Música do Conservatório Nacional. Tem acompanhado em concursos importantes, como o Prémio Jovens Músicos, o Prémio de Interpretação do Estoril e o Concurso de Canto Lírico da Fundação Rotária Portuguesa. É, desde 2009, acompanhador do Festival Vocalizze, em Almada.

Daniel Godinho apresentou-se como pianista em Portugal, Espanha e Holanda, e em importantes eventos tais como o Festival Internacional de Música de Mafra, o Festival das Artes de Coimbra, o Festival CisterMúsica de Alcobaça e ainda em concertos para a Antena 2.

Em 2014 gravou o seu primeiro CD com Inês Simões, dedicado ao repertório ibérico.

 

 

Fátima Fonte | Compositora

Fátima Fonte (1983) estudou composição na ESMAE (Porto) e no Conservatório de Música de Amesterdão. Esteve também na Índia a estudar Música Hindustani com a cantora Aparna Gurav como bolseira da Fundação Oriente.

Peças suas foram tocadas no Concertgebouw (Amesterdão), Huddersfield Contemporary Music Festival (Reino Unido), Gaudeaumus Music Week (Holanda), Festival Atlante Sonoro (Roma), etc.

Nos últimos anos tem trabalhado intensamente com música de cena em Portugal. Na temporada 2017-2018 foi Jovem Compositora Associada ao Teatro Nacional de São Carlos, e atualmente colabora com várias companhias de teatro do Porto. 

 

 

Endereço Travessa das Zebras 25