A ORQUESTRA DE ALTIFALANTES - um pouco de história

A aventura da música electrónica começa no início do século XX, sendo a imagem emblemática da música do século XX. A história da música electronica foi desenvolvida em vários capítulos, num processo de aceleração exponencial paralelo a todo o desenvolvimento tecnológico do século XX.

Com o surgimento da Música Concreta em 1948 e a partir dessa data com o aparecimento de músicas gravadas e produzidas em estúdio e fixadas sobre suporte, seja ele a fita magnética, o disco mole, o CD, o disco rígido ou qualquer outros tipos de suportes actuais para guardar informação, o altifalante passa a ser um elemento indispensável da cadeia electroacústica para colocar o ar em vibração e permitir que o som chegue aos nossos ouvidos.

Assim foram-se desenvolvendo várias configurações mais ou menos complexas de altifalantes até à invenção do conceito de Orquestra de Altifalantes por Christian Clozier em 1971, em França, entendida como um instrumento de interpretação e projecção sonora. No seguimento desta primeira realização este conceito foi sendo desenvolvido e apropriado por outros artistas e instituições.

Em 1995 Miguel Azguime concebeu e realizou a primeira Orquestra de Altifalantes em Portugal.
Para além de presença regular no Festival Música Viva, a Orquestra de Altifalantes da Miso Music Portugal tem-se apresentado no Centro Cultural de Belém, Fundação Calouste Gulbenkian, Casa da Música, Teatro São Luiz em Lisboa, Teatro Helena Sá e Costa no Porto, Teatro de Campo Alegre no Porto, Museu dos Transportes em Coimbra, Parque dos Poetas em Oeiras, Teatro Gil Vicente em Coimbra, Museu Reina Sofia em Madrid, Festival Outono de Varsóvia.

A ORQUESTRA DE ALTIFALANTES - em detalhe

A Orquestra de Altifalantes é um sistema de projecção sonora especialmente destinado à difusão da música electroacústica sobre suporte.

Tem como objectivo principal introduzir na música electroacústica fixa sobre suporte a dimensão interpretativa, e com o sentido também de ritualizar o acto do concerto de música electroacústica e de possibilitar uma comunicação expressiva com o público.

Para isso é necessário criar um instrumento de difusão sonora suficientemente flexível para se adaptar às referidas necessidades interpretativas e ao mesmo tempo assegurar uma qualidade de difusão ímpar.

A Orquestra de Altifalantes concebida por Miguel Azguime, resulta de um trabalho de vários anos de investigação e experimentação, ao longo dos quais foi desenvolvido no Miso Studio software e hardware específico para a sua implementação. Inicialmente apresentada em 1995 no Festival Música Viva, a Orquestra de Altifalantes foi depois parcialmente apresentada no Pavilhão do Conhecimento dos Mares da Expo’98. O presente estado de desenvovlvimento da Orquestra de Altifalantes constitui uma versão profundamente modificada que foi apresentada pela primeira vez no Festival Música Viva de 1999, tendo desde então feito apresentações em diversos certames nacionais e internacionais, muitas vezes em colaboração com solistas e agrupamentos.

A Orquestra de Altifalantes é um sistema global de projecção sonora, num total de cerca de 50 altifalantes (consoante o número de canais), ele próprio constituído por 6 sub-sistemas diferentes de altifalantes colocados no espaço de forma a possibilitar um número alargado de planos sonoros, divididos nalguns casos em bandas de frequências pré-estabelecidas que visam um conceito de espacialização próximo daquele que encontramos numa orquestra com instrumentos acústicos. A este sistema associa-se um sistema próprio de iluminação para cada elemento/altifalante da orquestra, conferindo ao conjunto da Orquestra de Altifalantes uma atmosfera mágica para preparar o público para a excepcional experiência electroacústica e de envolvimento sonoro a que vai assistir.

FaLang translation system by Faboba