Fundadores

A Miso Music Portugal foi fundada em 1985 por Paula e Miguel Azguime, compositores, intérpretes e artistas pluridisciplinares que, desde a fundação do Miso Ensemble (duo de flauta e percussão com um percurso singular no panorama musical português) desenvolvem uma actividade incansável no campo da nova música, contribuindo de maneira prolífica para a expansão e promoção da arte musical contemporânea. O Miso Ensemble é reconhecido pelo público e pela crítica como um dos mais inovadores agrupamentos portugueses de música contemporânea.

À actividade artística de Paula e Miguel Azguime vem juntar-se uma longa e perseverante dedicação à promoção dos compositores portugueses e ao fomento da arte musical tanto a nível nacional como internacional. Neste âmbito têm desenvolvido e multiplicado ao longo dos anos inúmeras acções pioneiras, que deram origem, para além da própria Miso Music Portugal, à editora independente Miso Records, à realização do Festival Música Viva, à criação do Miso Studio, ao desenvolvimento de uma rede alargada de parceiros para a internacionalização da música portuguesa, etc... até à fundação mais recente do Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa. Paula Azguime é directora executiva da Miso Music Portugal e Miguel Azguime director artístico.

Paula Azguime nasceu em 1960 em Lisboa. Compositora, flautista, encenadora, videógrafa e sound designer. Ao longo dos mais de 30 anos da sua actividade contínua, criou um percurso singular no panorama português da arte contemporânea, sobretudo pela sua capacidade de se movimentar com a mesma à-vontade dentro das várias áreas de actividade artística, desde a nova música até ao teatro, encenação e produção.
Por um lado, enquanto compositora recebeu encomendas de várias instituições públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por outro, como intérprete, no âmbito do Miso Ensemble, juntamente com Miguel Azguime e outros músicos, deu centenas concertos em alguns dos mais importantes festivais de música contemporânea em Portugal e no estrangeiro.
Ao longo dos últimos anos tem desenvolvido a sua actividade predominantemente como encenadora de teatro electroacústico e nova ópera, bem como sound designer e artista multimédia, no âmbito de uma abordagem inovadora em relação à expressão da nova música encenada. Dos seus projectos mais recentes é de realçar a encenação vídeo para a ópera multimédia A Laugh to Cry (encomenda do Festival Internacional de Música Contemporânea Outono de Varsóvia com o apoio da Enrst von Siemens Music Foundation) assim como a ópera infantil A Menina Gotinha de Água (2011), ambas as obras com música de Miguel Azguime.

Miguel Azguime nasceu em 1960 em Lisboa. Distinguido pela sua versatilidade e por possuir um vasto leque de recursos dentro do idioma contemporâneo, o seu universo musical reflecte uma abordagem que se baseia nas suas capacidades multifacetadas enquanto compositor, performer e poeta. Esta sua tridimensionalidade desafia concomitantemente uma certa visão quase mística da arte.
Os inícios do seu percurso são marcados pela participação em várias formações de jazz e improvisação e em 1985, juntamente com Paula Azguime, pela fundação do Miso Ensemble. A evolução da linguagem do Miso Ensemble, da improvisação à composição e a utilização de meios digitais e audiovisuais de criação, coincide com a afirmação de Miguel Azguime enquanto compositor, e com a fundação da associação cultural de utilidade pública Miso Music Portugal.
Tendo o seu background raízes eclécticas e diversificadas, Miguel Azguime compõe música para diversas formações - instrumentais e/ou vocais, com ou sem electrónica, música electroacústica, poesia sonora, assim como música para exposições, instalações sonoras, teatro electroacústico,... As várias actividades por si exercidas, enquanto compositor, poeta e performer deram origem ao seu interesse pelas formas híbridas e pelas relações que privilegia entre palavra-sentido e palavra-som, na procura de um novo sentido e equilíbrio entre o texto e a música. Neste contexto, é preciso destacar as suas óperas Itinerário do Sal (2006), criada no contexto da sua residência da DAAD em Berlim, e a mais recente, A Laugh to Cry, estreada em Setembro de 2013 no Festival Internacional de Música Contemporânea Outono de Varsóvia.
Itinerário do Sal constitui, de certo modo, o culminar de um processo de integração entre escrita poética e escrita musical; processo este que conduziu também a uma nova forma de colaboração criativa com Paula Azgime no seio do Miso Ensemble. Esta cooperação encontrou a sua consolidação na ópera A Laugh to Cry, um teatro metafísico que se desenvolve na orla entre o sonho e a realidade, em que a música de Miguel Azguime e a encenação de Paula Azguime coexistem de uma forma verdadeiramente simbiótica.
Para mais informações sobre a actividade de Miguel Azguime enquanto compositor visitem o site www.azguime.net.

FaLang translation system by Faboba